Escrevendo por quem não pode

Uma das coisas que mais faço com gosto e vontade é escrever.
Tenho meio que paixão por redigir e-mails (até os mais chatos), enviar mensagens em texto (em vez de áudio no Whatsapp), caprichar nos recados, posts, comentários e inboxes, enfim, teclar, escrever, redigir, são a melhor forma de me expressar.

Costumo escrever textos sobre experiências que vivencio aqui no meu blog, assim como escrevo sobre assuntos que conheço bem e sigo aprendendo mais no blog da Miler.
Também escrevo para empresas-clientes, amigos e projetos (definições estas que às vezes se misturam), recebendo por isso ou não, de graça e também por muita graça.
E pretendo continuar assim, a escrever mais e mais.

Até que em um certo momento, comecei a escrever por aqueles que não podem e não são capazes de escrever.
No entanto, ao se expressar, o fazem muito bem: olhinhos brilhantes, lambidas, rabinhos abanando e pulos de alegria.
Utilizando a técnica do storytelling, comecei a escrever histórias sobre os casos de adoção que acontecem na AATAN Sorocaba, uma vez que eu já realizava o trabalho de gestão de conteúdo na fanpage da ONG.

Foto enviada pela adotante da Meg, a Isabelle: à esquerda no dia da adoção e à direita hoje em dia. 

Em alguns casos, é possível manter contato com o adotante, e muitas vezes, a pessoa adora mandar notícias, contar como está a vida do animalzinho adotado e mandar fotos.
Para os voluntários, é emocionante! 


Pensando em uma forma de aproximar os seguidores da page, sensibilizar os que se identificam com a causa animal, homenagear os adotantes e influenciar futuras adoções, iniciei as histórias com finais felizes.
São tipo cartinhas que os cães e gatos "escreveram" para contar como está a vida, dizer como estão felizes por terem um lar e agradecer à nova família que ganharam.
Com uma linguagem simples e fofinha, bem humanizada, com inspirações da Estopinha, as histórias passaram a fazer parte da rotina da page e muitos seguidores adoram.
Um feedback bem bacana vem aparecendo e isto só me faz querer escrever mais!

Minha intenção é emocionar, pois é emocionada que fico ao redigir cada historinha.
Para ler, é só clicar:

Outros exemplos de histórias felizes de adoção estão neste link.

Com este trabalho que faço com prazer, espero que consiga tocar corações e mentes, ajudar na conscientização sobre adoção de animais e no mínimo, proporcionar uma leitura agradável que alegre por momentos.