envolve

Desmistificando o Marketing Digital para não restar dúvidas

1.png

Ultimamente, quando fala-se em marketing digital, comunicação online e propaganda na internet, é comum ouvirmos algumas frases bastante impactantes que nos fazem pensar se são realmente verdadeiras ou falsas.

Algumas delas podem até ter sido verdadeiras um dia, e depois de alguns anos tornaram-se obsoletas, pois na internet tudo pode mudar rapidamente.

Mas existem algumas “verdades absolutas” que dizem por aí que não são tão verdadeiras assim. Se alguém tentar te vender seguidores e likes ou listas de emails, por exemplo, esteja alerta e tome cuidado!

Aqui estão alguns mitos e verdades, mas eu digo mais: te indico baixar e ler o e-book com a lista completa de informações valiosas sobre marketing digital.

1. Falar sobre o que sei e faço pode matar meu negócio e fortalecer a concorrência.

Esse mito é um medo comum para a maioria das pessoas que fazem marketing de conteúdo.
Em uma primeira visão, realmente parece que revelar os segredos e o conhecimento de graça irá matar seu negócio, pois as pessoas irão fazer tudo sozinhas e não precisarão de sua ajuda.
Mas, observando por uma ótica um pouco mais profunda, o que acontece na verdade é que, quando você revela seus segredos e entrega todo seu conhecimento de forma gratuita, você acaba criando identificação e respeito com sua persona e tornando-se referência no assunto. Isso é um fator importantíssimo e que influencia fortemente na decisão de compra do cliente.

2. Número de seguidores e likes nas redes sociais é a métrica mais importante.

Mito! Talvez seja a métrica mais popular das mídias sociais, mas nem de longe é a mais importante. Não que não seja importante, apenas não é a principal.

O número de fãs ou seguidores que você possui é uma prova social de que sua empresa é engajada socialmente e pode influenciar decisões. Mas esses fãs são todos influenciadores? São potenciais consumidores? Estão qualificados como possíveis embaixadores de sua marca?

Defina quem será a persona que seguirá sua marca nas mídias sociais e trabalhe para que suas publicações cheguem a ela. Ter no radar a audiência errada pode custar mais caro no final.

Conheça outros mitos sobre Facebook clicando aqui.

3. Não é preciso se preocupar com quantia grande e alta frequência de compartilhamento de conteúdo.

Verdade! Por mais que pareça que quanto mais conteúdo for compartilhado, mais pessoas serão alcançadas, é preciso saber dosar a quantidade e qualidade do material. Há dois tipos de feed de notícias nas mídias sociais: um é atualizado por posts recentes (Twitter, Instagram) e outro é atualizado por posts relevantes (Facebook).

No primeiro caso, postar muito conteúdo poderá chatear os fãs. Só porque eles gostam da sua marca não significa que eles consumirão toda a informação que você publica. É preciso maneirar e focar na qualidade para que os posts não sejam publicados sem gerar resultados.

No segundo caso, não adianta publicar com muita frequência se o fundamento utilizado para aparecer na timeline dos usuários é a relevância. No Facebook, os posts aparecem na timeline de acordo com a preferência dos usuários. Quanto mais você curte os posts de uma página, mais chances de você receber suas próximas atualizações.

4. E-mail marketing ainda funciona e muito bem!

Verdade! Todo mundo possui um endereço de email. Para acessar qualquer serviço online, é necessário um e-mail válido. Cadastros em qualquer site, serviço e aplicativo, ou para criar uma conta no Facebook, por exemplo, precisa de um email.  

É claro que existe uma diferença entre termos um email e lermos tudo o que recebemos. O grande ponto aqui é o interesse: se eu conheço o remetente e sei que seu conteúdo é de qualidade (irá me trazer algo de valor), com certeza irei engajar.

É isso que faz você olhar para uma caixa de entrada cheia e escolher o que vai abrir.
Para empresas, o importante é produzir bom conteúdo, com relevância, originalidade e criatividade, seguir as boas práticas de email marketing e assim seguir rumo à uma ótima taxa de abertura!

Muito se ouve de profissionais frustrados e preocupados com a evolução da tecnologia e da inteligência artificial, pensando que serão substituídos pelas máquinas e dados.

O melhor tipo de marketing é aquele que não parece marketing.
— Tom Fishburn

Acredito que isso seja difícil de acontecer. Quanto mais a tecnologia evolui, mais nós, humanos, podemos evoluir também, pensando e desenvolvendo novas soluções que complementem o que os computadores conquistam.

Isso se aplica ao Marketing Digital. Ele ajuda e automatiza inúmeros processos de criação e produção de campanha, mas o insight e a criatividade para atingir os melhores resultados só podem ser conseguidos por nossas mentes.